Total de visualizações

Coluna Diamante

Extensão do Jornal Delfos-CE: http://jornaldelfos.blogspot.com.br/
O nome Diamante é por conta do primeiro livro impresso no mundo, o Diamante-Sutra, sem o qual não existiria a impressão como a conhecemos hoje em dia.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

COMO LIDERANÇAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ “REAGIRAM ÀS MANIFESTAÇÕES CEARENSE?

COMO LIDERANÇAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ “REAGIRAM ÀS MANIFESTAÇÕES CEARENSES?

Em 2009, surge um movimento contra a desassociação discriminatória praticada pela Igreja Testemunhas de Jeová. Ex-membros da aludida religião, passaram a alertar as pessoas do ostracismo social que poderiam sofrer caso ingressem naquela religião, e depois resolvam sair, o que provocou o Ministério Público a investigar lideranças locais, (pastores, chamados de anciãos).

Como a Torre de Vigia (Órgão controlador das congregações Testemunhas de Jeová) lida com um movimento que impacta e mobiliza uma sociedade? A partir de seus advogados, anciãos, servos ministeriais, enérgica e instantaneamente, passaram a rastrear nossos passos, filmar faixas, outdoors e ameaçaram processar integrantes do movimento por práticas de intolerância religiosa.

Apesar do número de participantes diminuir substancialmente, devida à opressão sofrida e crescente, intensificamos as atividades nas ruas e praças, chegando às portas do Tribunal de Justiça e Ministério Público.

A Torre de Vigia objetivamente pretendia calar a nossa voz para que o público não conhecesse os fatos concernentes à desassociação. Ademais, desestimulariam o delegado e a Promotoria de continuar investigando o caso. Contudo, o tiro saiu pela culatra: com base no Inquérito Policial o Promotor denunciou os investigados por práticas de crime de intolerância religiosa (Lei Federal 7.716, Artigo 14).

Para o desespero de lideranças religiosas locais e nacionais, a Procuradoria da República também aceita mais uma Representação de Sebastião Ramos, o que resultou em uma Ação Civil Pública, e, por sua vez, a Defensoria Pública ajuizou uma ação por danos morais.

Todas essas ações desencadearam matérias em jornais virtuais, impressos e nos meios de comunicação televisivos.

Ao passo que a desassociação é exposta à luz, uma Carta é enviada à Todas as Congregações da Grande Fortaleza (CE) e Região para alertar sobre o perigo das manifestações e exortar às Testemunhas de Jeová a não mexerem com os “apóstatas”.

Todos os adeptos e lideranças da Organização Testemunhas de Jeová são extremamente submissos à Torre de Vigia. Eles não dão um passo sem consultarem seus líderes. Entretanto, será que a perseguição que varria o território cearense estaria partindo por iniciativa própria de advogados, anciãos, servos ministeriais, enfim? Que possamos refletir!

Entretanto, é preciso que a intolerância religiosa seja denunciada além do mundo online, pois, se não estivessem acontecido mobilizações públicas, não seríamos uma referência no combate à intolerância religiosa. Não é por coincidência que o trabalho social da ABRAVIPRE já se tornou referência no Brasil e exemplo para o mundo.

Sebastião Ramos
A carta em si:

 A carta em pdf:
 https://www.facebook.com/groups/colunadiamante/1079010912208507/?pnref=story
Fotos relacionadas: